quarta-feira, 23 de julho de 2014

Cixi, de Concubina a Imperatriz da China

.
.
A Quetzal lançou recentemente a obra A Imperatriz Viúva - Cixi, a Concubina Que Mudou a China, um texto fascinante de Jung Chang (celebrada autora de Cisnes Selvagens).
.
Cixi (1835-1908) é considerada por muitos a mulher mais importante da História da China. Proveniente de uma das mais antigas e ilustres famílias manchus, foi seleccionada, com apenas dezasseis anos, para fazer parte do numeroso harém do imperador chinês Xianfeng.
.
Na corte, o seu nome próprio nem sequer ficou registado na altura, pois era considerada demasiadamente insignificante para justificar tal assento. Figurou, apenas, como "mulher da família Nala". Contudo, em menos de dez anos, esta jovem decidida abriu caminho para se tornar governante da China. Após a morte do imperador, tomou o trono aos regentes nomeados por ele e, durante décadas, até à sua morte (1908) teve nas mãos o destino de um terço da população mundial.
Cixi, também pronunciado Tzu Hsi, foi o seu nome honorífico, significando "amável e alegre".
.
Cixi reinou em tempos historicamente conturbados, percorridos por grandes crises internas e externas. Mas conseguiu transformar profundamente o país, desenvolvendo todos os sectores e infraestruturas indispensáveis a um Estado moderno: indústria, caminhos-de-ferro, electricidade e comunicações.
Desempenhou também um papel importante em reformas sociais, abolindo, por exemplo, práticas de extrema crueldade, como a morte através dos mil golpes ou a tradição de ligar brutalmente os pés das mulheres.
.
Sobre esta obra, escreveu The Economist: "A história extraordinária de Cixi tem todos os elementos de um conto de fadas: é bizarra, sinistra, triunfante e terrível".
.
Por seu turno, o New York Magazine comentou: "Este livro de Jung Chang mergulha numa figura verdadeiramente fascinante: uma ferina consorte imperial que governou por detrás dos tronos de dois e sucessivos imperadores chineses e que conduziu a China até ao século XX. Uma história maquiavélica narrada pela autora da biografia definitiva de Mao".
.
Leitura altamente recomendada pela Torre.
.
JUNG CHANG, A Imperatriz Viúva - Cixi, a Concubina Que Mudou a China, Quetzal Editores, Lisboa, 2014 (520 pgs.).
.

Sem comentários: