domingo, 30 de maio de 2010

Aberturas de Grandes Livros - "20 000 Léguas Submarinas" (Jules Verne - França)

.
.
“O ano de 1866 foi assinalado por um acontecimento extraordinário, fenómeno inexplicável, que ninguém, por certo, olvidou ainda.
Não falando já nos rumores que agitavam as populações dos portos, de onde se transmitiam ao interior dos continentes, aqueles que mais interessados se mostraram foram os homens do mar.
Os negociantes, armadores, capitães de navios, mestres e contramestres da Europa e da América, oficiais das marinhas de guerra de todas as nações, e, depois destes, os Governos dos diversos estados dos dois continentes, todos se preocuparam com esse facto até ao ponto mais alto.
.
Na verdade, já por diversas vezes algumas embarcações se tinham encontrado no mar com uma coisa enorme, objecto longo, fusiforme, fosforescente, e infinitamente maior e mais rápido do que uma baleia.
Os factos relativos a esse aparecimento, que constavam nos diversos livros de bordo, eram suficientemente concordes na estrutura do objecto ou ser em questão, na velocidade inaudita dos seus movimentos, na força surpreendente da sua locomoção e na vida particular de que parecia dotado.
Se era cetáceo, excedia em volume todos quantos a ciência tinha até então classificado. (…)
.
.
(…) Que ele existia era inegável e, se atendermos a essa disposição inata que o cérebro humano tem para o maravilhoso, facilmente se compreenderá a sensação produzida no mundo inteiro por tão sobrenatural aparecimento.
Era impossível tomá-lo como fábula.
Efectivamente, a 20 de Julho de 1866, o paquete Governor Higginson, da Calcuta and Burnach Steam Navigation Company, tinha encontrado a citada massa móvel a cinco milhas a leste das costas da Austrália.
.
A princípio, o capitão Baker julgou-se em presença de algum escolho desconhecido, e já se preparava para lhe determinar a situação exacta quando duas colunas de água, provenientes do estranho objecto, ou animal, subiram, silvando, até à altura de cinquenta metros.
Portanto, a não ser que o escolho estivesse sujeito às expansões intermitentes de um géiser, o Governor Higginson encontrara-se com algum mamífero aquático, até ali ignorado, que deixava sair pelas ventas colunas de água, misturadas com ar e vapor. (…)”
.
.
Recorde o 'trailer' do filme que a Walt Disney produziu, em 1954, com base nesta famosa obra de Jules Verne.
.
.
.

Sem comentários: