sábado, 30 de agosto de 2008

Velha Poesia Árabe na Península Ibérica (XI) - (Al-Mutamid) - A Videira

Ao passar junto da vide
ela arrebatou-me o manto,
e logo lhe perguntei:
porque me detestas tanto?
Eis que ela me respondeu:
porque é que passas, ó rei,
sem me dares a saudação?
Não basta beberes-me o sangue
que te aquece o coração?

Sem comentários: