domingo, 17 de fevereiro de 2008

Velha Poesia Árabe na Península Ibérica (VI) - (Ibn Hazm de Córdoba -2) - Ela

Quando a encontro
Agrada-me a conversa,
E sobe até mim
Um delicioso olor de âmbar.
Se ela fala,
Não atendo aos que estão ao meu lado
E escuto apenas as suas palavras
Agradáveis e graciosas.

.
Ainda que estivesse
Com o Príncipe dos Crentes,
não me afastaria da minha amada
em atenção a ele.
Se me vejo forçado
A partir do seu lado,
Não páro de olhar para trás
E caminho como uma criatura ferida.
.
Mesmo que o meu corpo se distancie,
Os meus olhos quedam presos a ela,
Como os do náufrago
perdido nas ondas,
contemplando a beira-mar.
Quando penso que estou longe dela,
Sinto que me afogo
como se respirasse
a poeira requeimada de sol.
.
Se me dizem que é possível
Subir ao céu,
Eu digo que sim
E que sei
onde está a escada.
.
(Ibn Hazm de Córdoba) (994-1064) (El Collar de la Paloma)

Sem comentários: