domingo, 21 de outubro de 2007

Velha Poesia Árabe na Península Ibérica (III) - Quem Me Dera...

Quem me dera
rasgar o coração com uma navalha,
encerrar-te lá dentro
e voltar a fechar o peito
para que dentro dele
tu estivesses,
para que em mais nenhum
tu habitasses,
até ao dia da ressurreição
e do juízo final.
Assim viverias comigo
enquanto eu existisse
e assim ficarias,
entre as dobras do meu coração,
mesmo depois da minha morte,
rodeada pelas trevas do sepulcro.
.
(Ibn Hazm) (séc. XI)
(Foto de A. Viana d'Almeida)

1 comentário:

Elisabeth Robalo disse...

muito linda poesia