domingo, 15 de julho de 2007

Miguel Torga - Poemas Ibéricos (Bartolomeu Dias)

Bartolomeu Dias

Eu não cheguei ao fim.
Dobrei o Cabo, mas havia em mim
Um herói sem remate.
Quando os loiros da fama me sorriam,
Aceitei o debate
Do meu destino de predestinado
Com singelos destinos que teriam
Um futuro apagado,
Fosse qual fosse a glória prometida.
E sempre que uma nau enfrenta o mar e o teme,
E regressa vencida,
Sou eu que venho ao leme
Com a Índia perdida.

(Miguel Torga - Poesia Completa - Dom Quixote, vol. II)

Sem comentários: